Sobre mim

Pedro Ildo Artista Plástico e Caracterizador.
Pedro Ildo, nascido em Paris, França... Começou sua carreira profissional oficialmente em 1992 sendo ela continua até a presente data, a qual teve um percurso diversificado envolvendo a pintura em diversificadas técnicas e aplicações! Dentro destes moldes expandiu sua metedologia de trabalho dentro de uma corrente surrealista criando seu estilo próprio, e aplicando o mesmo em vários cenários e áreas! De realçar pintura em tela a óleo, sendo essa sua verdadeira paixão e ambição para sua carreira a qual, o próprio considera que esta numa fase de amadurecimento e projecção... Considera no entanto que não é um estilo comercial mas sim especifico e muito próprio! Considera a Arte uma luta constante e indomável em todos os aspectos, uma batalha de forma, cor, luz e conhecimento.... Outra vertente desenvolvida pelo Artista Plástico é a pintura corporal! Aqui a tela tem vida e formas várias, tem personalidade !..Tem também um tratamento especifico em termos pictóricos e duração limitada que por natureza se torna necessária que assim seja! Os primeiros trabalhos em pintura corporal datam de 2001 e na maior parte dos casos é usada como promoção de algo especifico ou é inserido num acto temático e demonstrativo desta forma de Arte. A obra que venho por este meio descrever, representa algumas horas de trabalho e a minha paixão...o meu tudo! Na hora que a pintei estava um pouco á procura de algo que ainda estava para surgir, assim como a dedicar todo o meu esforço a quem neste momento lê e comtempla a minha obra! Esta obra representa o oculto o misticismo a crença e tudo que o ser humano cria em sua fertil e poderosa mente...Tentei tambem expressar esta simbologia através da cor as quais foram escolhidas de acordo com sua simbologia e temática. Gostava que interpretassem esta obra com alguma atenção pois nela como na vida existem coisas que por vezes nos passam ao lado, isso é normal, e aqui o que no principio pode ser "estranho" puderá se tornar algo mais suave se analizarmos seu conteudo! Outro caminho que tentei seguir foi dar uma face a um ser universal, isto é, que nem fosse feminino nem masculino, se consegui ou não isso não me compete a mim afirmar, mas sim a quem a observa. Para finalizar esta breve descrição saliento que tentei procurar o equilibrio, o meu e o da obra!